Entranhas

Dentro de mim vive o fogo.
rodeado por cêrcas de pedra
tenho mais medo da cêrca,
do que daquilo que ela cerca.
Debaixo da pele
pulsa
algo que aumenta aos poucos a temperatura
Embora eu esteja de tempos em tempos dispersa.
Coloco meus pés no chão em brasa.
quando sinto uma alma que me abraça
no entorno e não posso fugir
quisera eu entender
tudo que o universo me impõe.
Mas o fogo que rugi aqui
não tem controle ou fim.
Apenas espera, atrás desse muro
Um meteoro, certeiro
que queime
queime
por inteiro.


Nenhum comentário: