Problemas constantes de quem tem boa memória (seletiva)

Minha mãe do céu, são vários! Até porque, quando você tem boa memória você se lembra dos seus outros problemas e passa a emendar um no outro, como uma teia de aranha infinita.
Antes de falar qualquer  problema, começo com o primeiro e mais sério problema de quem tem boa memória: As pessoas não acreditam que você tem boa memória. Não acreditam da mesma forma que não acreditam em amor a primeira vista,  que tem gente que comi muito e é magro e que alguns são mesmo bons em todas as matérias da escola.
Simplesmente porque: elas gostariam de ter essa sorte, mas não tem. Por isso venho aqui dizer que ter boa memória nem sempre é legal.

Não vou mentir, eu adoro ter boa memória. Embora isso não funcione bem do jeito que eu queria, pois nunca me fez decorar as formulas de matemática ou os nomes estranhos de biologia, serve pra muita coisa.

Serve por exemplo para começar amizades. Por que mesmo que eu não goste tanto de uma banda, eu quase sempre sei cantar a música e ainda sei alguma informação sobre o primeiro disco ou sobre a infância do guitarrista. Isso porque eu vi uma vez em um especial da mtv, e não esqueci mais.
Serve também para contar algum caso  engraçado que aconteceu comigo ou que alguém me contou, quando acabam todos os assuntos da roda. E serve é claro, para colocar referências legais nos textos que eu faço e para reconhecer referências nos textos das pessoas.
Como tenho boa memória, me lembro do dia que vi uma referência a Senhor dos Anéis dentro de Lost. Foi muito legal e quase ninguém sacou.  A assim eu sigo me divertindo com pequenas coisas que algumas pessoas não veem.
Mas ai que ta: Nem tudo são flores, querido(a).
Muita gente se lembra do primeiro beijo, certo? Se lembra onde foi e tudo. Ai alguém pergunta: “Mas e depois?” E o outro respondi: “Ah, depois eu não lembro.” Pois é, eu lembro. Eu lembro que o garoto me perguntou se eu gostava dele e eu disse que sim, pensando que ele ia dizer o mesmo. Mas ele respondeu: “É, eu to aprendendo a gostar de você.”  Eu lembro de brincadeiras da infância  mas eu também lembro como as crianças podem ser cruéis umas com as outras.
E por ter uma memória tão boa, eu perdoou a maioria das pessoas – até porque, todo mundo erra mesmo. – só que algumas coisas ficam voltando a minha mente sem parar. É claro que isso faz alguém querer não ter mais umas boa memória, na verdade, apagar um pouco da mente. Mas ai eu me lembro do desfecho de “Brilho eterno de uma mente sem lembranças”, e penso: bom, melhor deixar como está



Toda essa divagação sobre memória só para dizer: Por favor, não tente convencer alguém com boa memória que ele não se lembra de alguma coisa. Ele se lembra. E vai se lembrar que você duvidou pelo resto da vida. E vai te achar um cuzão pelo mesmo espaço de tempo. 

Nenhum comentário: