A vida e a morte de João Apocalipse


(repostando, já que o portal iuuk se foi... ²)



João era um entusiasta mediano de teorias da conspiração, até receber a sua primeira revelação
João começou como todo bom conspirador. Com as teorias babadas de conspiração. Ets construíram as pirâmides, o homem não foi a lua, o aquecimento global é uma fraude,  Elvis não morreu e coisas do tipo. Mas o problema foi que ele começou cedo demais. Muito cedo. Com seis anos.


Foi descobrindo aos poucos, o vasto mundo das teorias conspiratórias. No princípio, ele dedicava seu tempo repassando-as. Mas foi durante uma madrugada, que ele teve sua primeira revelação. Sim, revelação. Como aquelas que os religiosos tem as vezes.

Ele estava dormindo, e um alarme de carro disparou. Postou-se na janela e observou que um casal tinha acabado de passar pelo local, e estava rindo. “Provavelmente foram dar um amasso por ali, e dispararam o alarme.” Até ai tudo bem.  Então veio a ideia! “Quando o alarme dispara, nunca é nada... E enquanto isso vários carros são roubados. E se os alarmes foram inventados por ladrões especialistas em roubo de carro para servir como distração/falsa sensação de proteção?”
Escreveu sua primeira tese. Utilizando livros, manual de instalação de alarmes, pesquisa de campo e pesquisa empírica.  Foi um sucesso. Mas um sucesso tão grande, que três das cinco maiores empresas de alarmes para carro faliram. Mas João, como todo conspirador, não queria fama, apenas a verdade. Por isso assinou anonimamente, e evitou junto, um possível acidente envolvendo ele e alguma empresa falida.

Logo que veio a primeira revelação, vieram várias. Desconfiava de tudo. Das empresas de produtos light até dos abrigos para proteção aos animais. Tudo tinha algo por trás.  Mas sua maior e mais aceita tese, foi a de que: “Todas as pessoas nascem inteligentes, a escola é na verdade um método para tornar as pessoas mais burras e assim controlá-las.” Fez a tese com base na vida de grandes gênios que em sua maioria esmagadora abandonavam as escolas e/ou não obtinham grande sucesso nas mesmas.
Mas um outro conspirador, contemporâneo a João Apocalipse, lançou uma tese, que  desestabilizou o homem para sempre. Ele pregava que conspiradores e teorias da conspiração, eram na verdade uma forma de distrair a população-rebanho de problemas maiores. Enquanto desvendavam esses mistérios infundados, o sistema agia na calada.

João surtou. Surtou porque acreditou na tese. Ele não fizera tudo isso de propósito, mas e se fosse na verdade uma peça desse quebra-cabeça gigante?  Resolveu então, que ia sair de cena. Para sempre. Foi no alto de um prédio enorme e levou uma pistola. Não teria erro. Deu um tiro na própria cabeça, em cima da sacada do prédio. Com o impacto da bala, ele caiu lá em baixo.

O estranho jeito de se matar que João planejou, chamou atenção na mídia. Todos queriam saber o "porquê”.  O assunto ficou na mídia por mais de um mês. E enquanto isso, dentro do prédio que João se jogou, uma organização formada por fabricantes de ar-condicionado e aquecedores,  maquinava seu grande plano.  Controlar o clima através de um escudo radioativo que cobriria toda a terra.

Nenhum comentário: