Sobre a fabulosa história de mulher que roubou o banco

A mulher foi esperta, claro que foi. A história é velha, e é de cinema mesmo. Um cidadão de bem, que se vê endividado, e em uma tentativa desesperada de se reerguer, comete um crime. Dentre muitos filmes do gênero, o clássico “Um dia de cão”, se destaca. Provavelmente a mulher não tinha nenhuma cirurgia de mudança de sexo para pagar, mas deve ter lá seus motivos.

Pra quem não acompanhou o desenrolar dessa trama, ai vai um resumo: A mulher entrou em uma agencia bancária em Jardim da Penha e entregou uma carta para a gerente. A carta – escrita a mão em um papel de “florzinha”, diga-se de passagem. – dizia que tinham várias bombas espalhadas no banco, e caso a gerente não desse trezentos mil reais para ela, tudo ia explodir. Era mentira, claro. A polícia descobriu a tempo, e levou a dita cuja. No final de tudo, ela desabafou “Eu estava desesperada, vi isso em um filme”.

E agora chegamos ao meu ponto. É verdade, existem alguns filmes mostrando pessoas que assaltam, matam e aprontam “várias confusões na sua tarde”. Mas convenhamos, não só de vilões vive o cinema. Aliás, eles quase sempre vêm acompanhados de uma figurinha simpática e que ganha o dobro do cachê, chamado “mocinho”.

O que eu não vejo são pessoas dizendo: “Ah, eu me arrisquei pra salvar aquelas pessoas de um prédio em chamas, porque eu vi Homem-Aranha e isso me comoveu muito...” Pode ser clichê o que eu estou dizendo, mas não o estaria, se não houvesse um bocado de pessoas dizendo a torto e a direito: “É menina, é a televisão e o cinema. Ficam dando esses maus exemplos”.

É simplesmente muito fácil botar a culpa em um “filme”. É uma coisa tão distante, tão surreal. Um filme não vai preso. – Embora Marilyn Manson e os Rowling Stones já tenham sofrido porque supostamente suas músicas fizeram uma pessoa cometer um crime.

Então, já que vamos passar a tirar nossos exemplos dos filmes, vamos fazer como as maiores bilheterias do cinema, não é?

Não vá para o lado negro da força. Esse anel te deixa poderoso, mas te deixa mal, destrua. Mesmo que você perca muitos amigos, familiares, esperança, e fique com uma cicatriz, continue no caminho certo! Se seu lado for o errado, mude, e ajude a outra tribo, mesmo que ela seja azul! E principalmente, doe seu pedaço de madeira flutuante e morra congelado para salvar o seu grande amor!!!

Nenhum comentário: