Como não amar odiar o Justin Bieber?

A música pop é muito engraçada. Quem gosta, gosta pelo mesmo motivo que as pessoas que odeiam, odeiam. Pelo fato dela tocar em todos os lugares, você decorar fácil e ter uma letra que “pode ser pra todo mundo”.
Então vem os artistas pops. Eles geralmente são bonitos, estão sempre nas capas de revistas, causam alguma polêmica com alguma coisa, tem cabelos e roupas da moda (ou que viram moda depois deles) e em sua grande maioria, duram dois verões.
Tá, existem as Madonnas e Britneys por ai, mas elas tiveram que fazer muito show, muita moda e muita polêmica para que isso aconteça. Eu até começo a achar que o “pop star” está substituindo o “Rock Star”. Uma vez que os roqueiros da nossa geração resolveram ficar bonzinhos e os ídolos pops não para param de encher clinicas de reabilitação e penitenciarias.
Mas voltando ao foco, há dez anos atrás, uma pessoa que cantasse e dançasse Back Streat Boys, não podia andar com a galera “cool”, porque era linchado. Afinal de contas, pop não é música. É apenas um produto cultural de massa feito pra grudar na sua cabeça. Mas hoje, você pode ouvir esse musica tranquilamente em uma balada moderninha, dançar e rir disso.

E o mais interessante, é que, como diria o Lucas Silveira no Lobotomia “o velho nunca foi tão novo.” A um mês atrás o Justin Bieber surgiu com a incansável “Baby” e ficou ai, nas paradas e nas rádios por digamos, duas semanas. Nessas duas semanas, ele atraiu centenas de pré-adolescentes que o acharam lindo e fofinho. Ai hoje, um mês depois, como todo mundo já sabe quem é ele, e já achou tosco alguém gostar dele, nós já podemos cantar e dançar essa música,e achar isso super legal. Afinal, ninguém está dançando porque é legal. Estamos dançando para zoar as pessoas que acham legal.
Não estou me excluindo da categoria de pessoas que fazem isso. Pelo contrário. Acabo de perceber, que amo odiar o Justin Bieber! Eu não tenho as musicas dele no meu celular ou HD, mas se tocar em algum lugar, eu vou acabar dançando. Assim como mesmo tendo um pé atrás com a Lady Gaga, não posso deixar de admitir que Bad Romance é uma música legal e que realmente anima a galera no rock.
Então a nova política que eu adotei é a seguinte: Não vou mais falar mau de quem gosta das chamadas “musicas chiclete”, afinal, sabe-se lá quando eu vou estar bombando no rock ao som de “Garota Radical”.

3 comentários:

" Gio™ " disse...

WOW! Isso é muito legal! Eu nunca ouvi uma música desse garoto, mas acho que no fundo, já ouvi sem saber de quem era!
A Lady Gaga, eu tinha uma repulsa, mas aí quando fui ver do que se tratava, achei genial! Não saio espalhando por aí, mas me divirto sim, ouvindo ela, e outras coisas bizarras que no fundo, nos divertem. Independente da qualidade, da originalidade musical, é muito divertido! e é por isso que fazem sucesso, nem todo mundo quer comprar um disco pra pensar, pra receber alguma mensagem, ou pra avaliar grandes performances musicais, aquerem apensa se divertir, e aí, uma fixa só, dessas bem chicletonas mesmo, já valem! E é o caso dessa categoria "pop", no fundo, como diria a Cindy Lauper, "as garotas só querem se divertir", e extendendo isso aos garotos tb, é o que esse tipo de música proporciona: DIVERSÃO acima de tudo!

.J.V. disse...

Pois é. É disso mesmo que eu estava falando. Mas é claro, que o problema maior não é se "divertir" isso é legal. o problema é reclamar de tudo e depois estar, dançando. Quem esquenta menos a cabeça vive mais.
ahauahuuah

Alicia disse...

Eu amo o Justin Bieber! Ele é muito fofo. As pessoas que não gostam são invejosas.